Moradores lutam pela despoluição da praia de São Conrado

Pepino, Praia da Gávea, São Conrado, Cantão ou “Canto Esquerdo”, estes são alguns dos nomes que são atribuídos à essa praia. Cravada entre quatro bairros da Zona Sul carioca, a praia de São Conrado foi a maior diversão na década de 80 para os moradores da Rocinha, uma febre.

Todos pegavam ou queriam pegar ondas. O pico sempre foi frequentado por surfistas como Chiquinho Calango, Byla Ramon, Xandinho, Abelhudo, Cão, Marcelo Pedro, Nano Dias, Kung, Guilherme Tâmega e Fábio Aquino. Os mesmos foram responsáveis por essa integração entre o morro e o asfalto, além dos competidores locais que sempre levaram o nome de nossa comunidade, entre eles, Guilherme Ximenes, Bruno Pão, Juninho Back Fliper, Marcos Bambam, Ricardo Ramos “Choco” e muitos outros esportistas.

Desde a década de 80, muitas coisas mudaram e até houve a autorização para colocar uma placa homem um poste próximo à praia. A poluição aumentou junto com o “crowd” e o localismo. São Conrado é uma das praias cariocas mais procuradas pelos surfistas, já que as ondas são perfeitas para a prática do esporte. É também a mais frequentada pelos moradores da favela da Rocinha, que fica próxima ao local.

Surfistas lutam contra o esgoto

Marcello Farias é integrante do "Salvemos São Conrado" (Foto: Arquivo Pessoal/Marcello Farias)

Marcello Farias é integrante do “Salvemos São Conrado” (Foto: Arquivo Pessoal/Marcello Farias)

Cansados de pegar onda em meio a tanto esgoto, surfistas criaram um movimento chamado “Salvemos São Conrado” para combater a sujeira na praia de São Conrado. O projeto foi desenvolvido pelos surfistas para denunciar o despejo irregular de esgoto na praia. Os constantes vazamentos estão poluindo a água, que fica imprópria para banho e para a prática de esportes, como o surfe. Desde o final de agosto, a página do movimento no Facebook conta com quase 1.200 likes. Lá, os membros publicam mensagens e outros conteúdos de protesto contra a degradação da praia.

Diante de tanta mobilização, o projeto conseguiu conquistas significativas. As obras do programa Sena Limpa já foram iniciadas e a esperança é que o problema do despejo irregular de esgoto na praia chegue ao fim. De acordo com o presidente da Cedae, Wagner Victer, o projeto de engenharia é um dos mais complexos dos últimos anos. A Estação Elevatória de São Conrado será modernizada dentro das mais avançadas técnicas de automatização, redução de consumo, energia elétrica, baixo nível de ruído e sistema de desodorização próprio.

Escolinha de bodyboard faz sucesso

Há 12 anos, um sonhador e amante do bodyboarding, Wanderley Silva, conhecido como Tio Ley, vem mantendo uma escolinha de bodyboarding que profissionaliza jovens da Rocinha e adjacências no esporte. “Eu treinava alguns atletas locais quando e começaram a aparecer crianças querendo praticar o esporte e foi assim que nasceu a escolinha”, conta ele. O projeto possui quatro instrutores – Renan, Rafaela, Luiz e Daniel – e atende mais de 100 jovens de 9 a 17 anos de ambos sexos para que eles possam ter no esporte uma vida melhor longe das drogas.

As aulas da escolinha são feitas na praia de São Conrado, no canto esquerdo, todas as terças e quintas das 8h às 10h e aos sábados das 9h às 12h. Para fazer parte da escolinha, o jovem precisa está estudando (a frequência escolar é monitorada pela escolinha), uma foto 3×4 e atestado médico do interessado.

Um dos maiores problemas do projeto é a falta de material para atender a demanda de jovens interessados em praticar bodyboarding. A escolinha está solicitando doações como pranchas, camisas de lycra, pés de patos e roupas de borracha. Falar com Wanderley pelo número 99791-7623.

Faça um comentário

Leave a Reply